Anteontem fez 5 meses

Ontem a ausência dela se fez tão presente…

Nessa semana que tem sido a minha última semana em SC, as despedidas das pessoas que marcaram esses 3 anos tem sido recorrentes. E ontem, em uma dessas despedidas, a ausência dela se fez presente. É duro pensar que eu vou voltar para o lugar onde tudo lembra ela, onde ela habita cada espaço.

Dizem que quem se suicida resolver a maior questão, a mais intrigante da esfera humana: se a vida vale ou não vale a pena. Que ela tenha chegado a essa resposta.

O texto a seguir foi escrito pela Amanda em julho de 2007, em uma das minhas viagens para visitar os amigos.

“Esse é o Rubs, a Gio é essa e o Quito atrás está. Como cenário, a decadência do meu quarto, que azul é. Mas nem precisava. O Rubs não tem celular e quer ser padre.

A Gio faz psicologia e arranca suspiros por onde passa. Na verdade mesmo o Rubs só acredita em Deus demais e é ultra radical. E a Gio é não se sabe. Mas ela tem um teatro mágico dentro dela. E sotaque. Tem sotaque de todos os lugares ao mesmo tempo.

Ninguém saberá de onde ela é, só de ouvir, não. Mas se passa por outro estágio até se sabe que a Terra ela pertence. O Rubs é uma pessoa impaciente e paciente demais. Racional e irracional demais. Inteligente e burro demais. Inteligível e isolado demais.

O Rubs de vez em quando sabe o que eu tô pensando sem eu dizer. Nas outras vezes, mesmo eu dizendo ele não entende. E custa a descansar meu verbo e minha mente. Porque somos insistentes e ansiosos. Sofremos, ao nascer, certos distúrbios. Somos, logo, disturbados.

A Gio é mais sensata e obedece aos pais. Eu, só não desobedeço porque eles não dão ordem. Ou será que dão e eu não percebo? Tenho péssima memória. Tenho problema de atenção nas pequenas coisas. E desatenta e ansiosa sou mais que um porre. Promovo a agressividade. Principalmente contra mim.

Não tenho um mínimo de compaixo e despejo ferozmente o meu temperamento ignorante e impaciente em pessoas que santas seriam se nascessem no século XVIII. Ou pessoas com maior tom de vulgaridade que andam por aí a procura de qualquer coisa mais ou menos divertida.

Eu sou mais que mais ou menos divertida porque roubo de mim mesma e e faço piada com meus piores sofrimentos. As pessoas adoram isso.
Mais um semestre me resignarei.

Vou deixar de me enganar por mais seis meses. Talvez, nos próximos seis e seis e seis meses futuros eu seja mais integral. Ou, talvez, fique o desejo e os seis meses acabem antes.”

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

+ Vestidos de festa

Continuando com a postagem dos vestidos de festa que tem recebido bastante aceitação das leitoras, postarei agora alguns modelos do Ateliê Karla Vivian, que fica na cidade de Itajai- SC.

PS.: Todas as fotos foram extraídas do orkut da estilista.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Até a próxima!

Publicado em Vestidos de festa | Deixe um comentário

Uma verdade incoveniente

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

10 coisas que você não deve falar ao ser pego no flagra

Aí você está lá, só você e ela, ela e você. Você pensa:

Finalmente descolei uma bimbada”

Você está radiante, afinal, o mundo conspirou ao seu favor. Seus pais foram fazer compras, sua irmã foi fazer trabalho na casa da amiga da faculdade. Tudo perfeito. Você percebe que tantos anos de punheteiro treinamento valeram a pena!

Nada poderia dar errado… MAS… bem na hora do lesco lesco alguém abre a porta do quarto e, sorria meu amigo, você foi flagrado!

Saiba que nessas horas não há muito o que falar, e sim, o que não falar. O vídeo abaixo de dará o caminho das pedras:

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Governador do Rio, Sérgio Cabral defende a liberação das drogas

sergio-cabral-wilson-dias-abr-Extraído da entrevista ao Jornal do Brasil, Sergio Cabral falou sobre a polêmica das mortes ocasionadas pelo tráfico, liberação das drogas desde que de acordo com a OMS e estados com legislação própria.

Veja trechos desta entrevista:

JB – Toda vez há um enfrentamento, como no caso do helicóptero, surgem as pessoas defendendo a tese de que a liberação das drogas reduziria esse embate que se tem no Rio. Qual é a sua opinião sobre isso?

Cabral – A lógica da legislação sobre droga tem que ser discutida nos foros internacionais. Eu diria que basicamente a Organização das Nações Unidas e a Organização Mundial da Saúde, a OMS. Deve começar pela OMS, (debate) dos seus prós e contras. Acho que nessa lógica da proibição pela proibição, o resultado é uma quantidade de mortes muito maior do que se nós tivéssemos uma legislação mais inteligente, mais voltada para a vida como ela é.

Essa legislação não está no arcabouço do estado de direito democrático, ela está no arcabouço comportamental, de valores, arraigados na sociedade internacional, a começar pelos Estados Unidos da América, que é a vanguarda do atraso nessa concepção atual no mundo. Hoje você já tem em muitos países europeus uma outra visão, e em alguns estados americanos – porque os Estados Unidos têm um modelo que eu sou favorável no Brasil, de autonomia federativa, onde os estados legislam sobre as suas vidas.

Essa é a grande reforma do Brasil. Esse pacto federativo. Tudo isso pode vir no bojo de uma reforma da federação. A realidade econômico-social-criminal do Texas não é igual à de Ohio. No Brasil, o Rio tem a mesma legislação do Acre, quando o Acre tem problemas ambientais que o Rio de Janeiro não tem e que, portanto, teria que ter uma legislação específica. Você vai ver a Constituição, está tudo concentrado em Brasília, no Congresso Nacional. Essa é a grande desgraça do Brasil. Esse é um tema que o Brasil profundamente deve discutir, que não está na agenda da imprensa, não está na agenda de lugar nenhum.

JB – O senhor foi senador. Debateu isso lá no Congresso?

Cabral – Não só debati como fiz propostas, há projetos meus tramitando lá.

JB – Tirando o debate político, o cidadão Sérgio Cabral é a favor da liberalização das drogas?

Cabral – Sou favorável à liberação das drogas, desde que seja um pacto internacional. Senão pode o Brasil virar a Walt Disney das drogas.

JB – Isso é um debate para a OMS?

Cabral – É um debate para a OMS, tem que ser visto com toda uma estrutura legal em termos de saúde pública, de prevenção. Hoje, o que acontece? O usuário tem crises e não há uma política pública. É como o aborto, que hoje ocorre. Segundo dados do SUS, 200 mil mulheres, por ano, depois de fazer o aborto ilegal, vão ao Sistema Único de Saúde, um hospital público, para reparar danos causados por essas cirurgias. O cálculo do ministro da Saúde é que isso signifique 20% do total. O total é de 1 milhão de abortos por ano. Ora, seu sou a favor do aborto? Claro que não. Quem é a favor do aborto? Ninguém! Sou a favor do direito da mulher ter uma estrutura pública. Tenho cinco filhos, amo meus filhos, Deus me livre, não torço para que nenhuma mulher faça aborto. Agora, por favor, a realidade, a vida como ela é, é que 1 milhão de mulheres, todo ano, fazem aborto. Ora, a mulher da classe média alta vai numa clínica clandestina, onde as autoridades daquela localização sabem que ela existe e sabe Deus como é que mantém aquilo. Agora, as meninas e as mulheres da pobreza, que é a grande maioria do povo brasileiro, vão onde, fazem onde?

JB – O senhor disse que não há política pública em algumas situações de tratamento de drogas, mas aqui no Rio o crack está entrando pesado e há fatos graves.

Cabral – Em São Paulo já entrou, infelizmente, há dois anos…

JB – E está vindo para o Rio… O Rio tem condições de bancar o tratamento para essas pessoas? O pai do rapaz viciado que recentemente matou uma amiga acusou o estado de não dar suporte para internação.

Cabral – Não é verdade. Há várias clínicas com as quais o governo do estado faz convênios. A gente busca conveniar clínicas e instituições que já fazem tratamento. Vou dar um exemplo de um trabalho lindo que a gente faz com um pastor da Assembleia de Deus, o Isaias Maciel. A gente está fazendo um trabalho com ele e várias clínicas, e a prefeitura do Rio também começou a fazer. Um trabalho de repressão.

A entrevista na íntegra você encontra aqui

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Famosos e suas gafes no Twitter

Taí uma coisa que não encheu meus olhos, esse tal de twitter. Achei meio nonsense isso de seguir, ser seguido, postar frases com até 140 caracteres… Sei lá, acho meio bestinha.

Mas tem gente que adora né, inclusive muitos famosos tem twitter e ficam atualizando a página de minuto em minuto com indicações completamente desnecessárias sobre o que estão fazendo.

Esse tal de twitter gera bastante polêmica. Alguns filósofos arriscam-se em dizer que tal qual um dia o orkut foi um destruidor de relacionamentos, o twitter vem conseguindo atingir seu posto. Isto porque diversas pessoas cometem twittercídio por este comprometer seu relacionamento.

Mas o que mais me aflige é a capacidade de pessoas públicas queimarem seu próprio filme dizendo coisas altamente constrangedoras. Dentre tantos seres auto sabotadores vou listar aqui os que tiveram mais destaque.

Danilo Gentilidanilo-m-20091031

Quem é: humorista do Custe o que Custar (CQC).

Gafe: “Agora no Telecine, King Kong, um macaco que, depois que vai para a cidade e fica famoso, pega uma loira. Quem ele acha que é? Jogador de futebol?”.

Retratação:

1)”Alguém pode me dar uma explicação razoável porque posso chamar gay de veado, gordo de baleia, branco de lagartixa, mas nunca um negro de macaco?”

2) “Na piada do King Kong, não disse a cor do jogador. Disse que a loira saiu com cara porque é famoso. A cabeça de vocês que têm preconceito.”

3) Em seu blog http://danilogentilli.net , o humorista faz uma retratação que vai além dos 140 caracteres, o post recebeu o título de UM POST RACISTA.

 

Thayla Ayala

34

Quem é: Atriz iniciante da Globo

Gafe: Thaila dizia que era ruim sentar na primeira cadeira do avião. “Todo mundo fica olhando, como se você fosse um paraplégico”.

Retratação: “Gente eu não sei se eu fui ignorante por não pensar que as pessoas poderiam interpretar mal, ou se as pessoas são maldosas e preconceituosas. Coisa que eu não sou! Quando eu falei sobre sentar na primeira cadeira do avião, e fiz uma comparação com deficiente físico, NÃO tive preconceito nem maldade nenhuma, como as primeiras cadeiras são reservadas para deficientes, grávidas, crianças, idosos…As pessoas me olhavam procurando um braço quebrado, uma perna machucada, uma barriga de grávida, ou qualquer coisa que justificasse eu estar sentada ali. Como não dava pra eu falar criança, bem idosa, grávida também fica difícil, falei sobre deficiência, o que não é nada anormal! Embora eu saiba q não devo nada a ninguém”

Murilo Couto

mc

Quem é: Ator da nova temporada da Malhação

Gafe: “apagão de ontem – quem não estuprou ninguém, perdeu a chance”.

Retratação:

1)”tem gente que não gostou do que falei sobre o apagão. Desculpa, estupro é uma palavra muito forte. ‘Sexo surpresa’ é melhor?”.

2)”Galera, mandei mal com esta brincadeira do apagão. Acabou virando um bom exemplo de piada de muito mau gosto! Peço desculpas a todos”

Na boa… twittercídio ainda é pouco…

Na espera de mais frases idiotas!
Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Faltam 92 dias para o carnaval 2010

Como vocês bem sabem, sou uma apaixonada pelo carnaval carioca. Gosto de assistir aos desfiles no sambódromo e as vezes ir em algum baile de rua de algum bairro mais conservador ou até mesmo em cidades menores do estado.

Desta vez meus planos de curtir o carnaval de Minas Gerais não deram muito certo, quem sabe de uma próxima vez?!

Estou me preparando para curtir a TODO VAPOR, tentarei estar melhor fisicamente que no ano passado.

carnaval_passista_bigLindaaaaa!

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário